Pesquisa personalizada
Este doce foi a 1ª vez que o fiz. Adoro chila, mas nunca me tinha dado ao trabalho de fazer, porque sempre ouvi dizer que era trabalhoso... 
Ao passar por uma frutaria vi uma abóbora chila e ela piscou-me o olho. Fui para casa sempre com o raio da chila na cabeça. 

Até que fui à internet procurar a confecção do doce e vi um ou outro blog, mas ia dar tudo ao mesmo. Ia dar tudo à questão de não se poder utilizar nada metálico, tipo faca, anéis, colher, na chila, pois caso se usasse a abóbora ficava com odor a peixe.

Humm... comprei a chila e comecei o doce seguindo todos os passos que tinha encontrado na net. Até fiz uma sequência de fotos a explicar tudinho para quem quiser fazer.

Devo dizer que ficou uma delícia, provei ainda morninha e estava divinal.

Agora pergunto, é um mito a questão do odor a peixe em contacto com metal?
Parece que é. Isto porque duas pessoas conhecidas já fizeram o doce muitas vezes, e em conversa me disseram que basta simplesmente tirar as pevides e aquela parte (tripa) junto às pevides amarela escura, que é isso que provoca o mau sabor. E que de resto se pode utilizar faca, não necessita de estar de molho, nada disso. 

Como eu já tinha feito a minha, não posso tirar a prova dos nove, só numa próxima, e sem dúvida que assim é menos trabalhoso.

Mas aqui fica a forma como eu fiz desta vez. Podem visualizar aqui.




Ingredientes:
1 Abóbora chila (gila) - tinha 3,200 Kg.
Açúcar (Mesmo peso da abóbora escorrida)
Água
3 paus de canela
1 casca de limão
8 cravinhos
Sal

Preparação:

Coloquei a abóbora dentro de uma saco plástico e atirei ao chão para rachar.
Retirar as sementes e tripas (fios grossos amarelos escuros que sustentam as sementes e que ao cozer se tornam amargos e duros).

Colocar os pedaços de gila dentro de uma bacia com água e lavar até que deixe de fazer espuma.
Depois de lavada colocar a abóbora com a casca virada para baixo, e deixar de molho de um dia para o outro.

Após esse tempo, cozer a gila em água temperada com sal.

A gila está cozida quando o miolo começa a despegar da casca.
Retirar, deixar amornar e separar com a ajuda de uma colher a gila da casca. Desfiar os fios com a mão.
Deixar escorrer a gila.

Depois de escorrida pesar a gila (pesava cerca de 1,114 gr.)
Num tacho colocar o açúcar (coloquei 1 kg.), os paus de canela, os cravinhos e a casca de limão e meio litro de água (por cada kilo de açúcar usar 1/2 litro de água, mas não é regra).
Levar ao lume e deixar ferver 10 minutos. Retirar os cravinhos e juntar a gila. Deixar ferver, mexendo de vez em quando. Quando começar a secar a água e adquirir o ponto de estrada (passar a colher de pau no fundo do tacho e ficar tipo uma estrada), está pronto. Retirar os paus de canela e a casca de limão.
Encher os frascos (previamente esterilizados) com o doce quente e feche de imediato.

Esterilizar os frascos:
Coloquei os frascos sem tampa num tabuleiro com a boca para cima e liguei o forno a 200ºC, deixando cerca de 20 minutos.
As tampas fervias em água cerca de 5 minutos. Retirei e coloquei sobre papel absorvente viradas para baixo.

Verto o doce (com 1 colher tipo molheira passada por água fervente) para cada frasco ainda quentes. Fechei e virei ao contrário durante 24 horas.
Guardar em local seco e fresco ao abrigo da luz.




Ainda a tempo de quem quiser experimentar, deixo aqui uma torta de claras que na realidade é a mesma massa que o pudim molotov, mas enrolado em forma de torta ou rolo, como lhe queiram chamar.

Para a 1ª vez até que nem saiu assim tão mal. O tabuleiro devia ser maior (usei um de 28x30cm), para assim ficar mais fina e mais enroladinha.
A receita foi do blog Cantinho da Marta, que tem imensas variedades e que muito aprecio. Obrigada Marta pela partilha.


Com esta torta docinha desejo a quem me visita um Bom Natal, partilhado com quem vos é mais querido...  E partilhem, partilhem sobretudo Amor 💗💗💗





Ingredientes:

11 claras frescas
11 colheres de sopa de açúcar

Creme de ovos:
3 gemas grandes
10 colheres de sopa de açúcar
10 colheres de sopa de água
1 casquinha de limão pequenina

Açúcar em pó
Doce de abóbora com nozes para rechear

Preparação:

Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Forre um tabuleiro com papel vegetal e unte-o com manteiga.
Bata as claras em castelo e vá juntado o açúcar aos poucos até obter um merengue firme.
Verta o preparado para o tabuleiro, espalhando uniformemente. Leve ao forno cerca de 11 minutos. Desligue o forno ao fim desse tempo e deixe arrefecer lá dentro.

Creme de Ovos:

Num tachinho leve a água e o açúcar, juntamente com a casca limão. Deixe ferver cerca de 4 minutos. Retire do lume e deixe arrefecer. Tire a casca de limão. 
Numa tigela coloque as gemas e mexa ligeiramente com um garfo. Verta sobre a calda de açúcar e leve ao lume novamente, e sem parar de mexer deixe que ferva para engrossar. Assim que ferver retire.

Polvilhe um pano com açúcar em pó, e sobre este desenforme a torta. Rechear com a compota, e enrolar com a ajuda do pano. Transferindo no fim para uma travessa, com a ajuda desse mesmo pano.
Por cima verter o doce de ovos morno.
Deixar arrefecer e está pronta a comer.




Que dizer deste brownie ou bolo?! Nem sei como o apelidar, pois os brownies costumam ser mais densos, mas a textura deste ficou fofa. Daí a minha dúvida :)
Mas o que interessa é que ficou uma delícia!

Nunca tinha usado castanhas em bolos, e fiquei surpreendida pela positiva. É excelente, e a mistura da canela com a erva doce e o cacau ficou 5 estrelas. Recomendo vivamente!!








Ingredientes:

600 gr. de castanhas congeladas (sem pele)
- peso das castanhas cozidas e frias deu 330 gr.
100 gr. de farinha de trigo sem fermento
250 ml de leite
4 colheres de sopa de azeite
200 gr. de açúcar
4 ovos
1/2 colher de sopa erva doce em pó
1 colher sopa de canela
2 colheres sopa cacau em pó
1 colher chá aroma de baunilha
1 colher sopa de fermento em pó

Preparação:

Cozer as castanhas em água temperada com sal. Transformar em puré (com a varinha mágica).
Pré-aquecer o forno a 180ºC.

Separar as gemas das claras.
Juntar todos os ingredientes (menos as claras) ao puré de castanhas. Mexer um pouco com a batedeira.
Bater as claras em castelo e adicionar ao preparado anterior, envolvendo.

Colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal manteiga e levar a cozer.
Quando cozido deixar amornar e desenformar.
Partir aos quadrados, polvilhar com açúcar em pó e um fio de canela em pó.




Este post vem no sentido de alertar quem faz compras pela internet.Existe uma empresa com o nome de TRADE POINT GMBH, cujo  site  podem consultar aqui. Vende diversos tipos de produtos incluindo produtos alimentares.

Pois é... fiquem atentos pois esta não passa de uma grande FRAUDE.
Não se passou comigo, mas com uma pessoa minha conhecida, daí estar a usar o meu blog para divulgar, pois sei que existem muitas blogueiras que usam a internet como meio de compra.

Esta empresa através do conhecido site Alibaba, entrou em contacto com a pessoa interessada na aquisição de um produto, e tudo muito bem até ter o dinheiro do lado de lá.

O pagamento foi feito através de moneygram, que desconhecia por completo, mas que basicamente é uma transferência feita através de agentes associados, cujo dinheiro fica disponibilizado num outro qualquer país em questão de minutos. Resumindo é mais ou menos isto.
Entretanto os dias agendados para saber informações sobre a entrega do produto, passaram a ser dias de desculpas, até passarem a dias sem respostas algumas, nem mails, nem telefonemas. 
E claro mercadoria nem vê-la.

Por isso atenção, fica o alerta. E já agora o Alibaba está cravadinho de scammers. Mas tão depressa estão lá como desaparecem.



A convite da Zorra do blog Kochtopf que promove o World Bread Day neste dia 16 de Outubro, também eu resolvi contribuir para a celebração deste dia... 
Como ela diz no seu site hoje "também é o Dia Mundial da Alimentação, fazemos pão e agradecemos o facto de termos em nossas casas comida suficiente... fazendo pão, mas talvez possamos neste dia em especial partilhá-lo com mais alguém". Eu partilhei...

Resolvi fazer pão doce, chamei-lhe regueifa doce com cacau porque leva uma parte com cacau. Ficou muito fofinha.





#wbd2017 #worldbreadday2017




Regueifa levedada pronta para ir cozer


Regueifa antes de levedar





Ingredientes:

Usar como medida uma chávena com a capacidade de 250 ml

1 chávena de leite morno
2 ovos
8 colheres de sopa de açúcar (aconselho a colocar mais um pouco)
3 colheres de sopa  de margarina à temperatura ambiente
1/2 colher de chá de sal
3,5 a 4 chávenas de farinha de trigo sem fermento
1 pacote de 11 gr. de fermento de padeiro em pó da Fermipan
Raspa de 1 laranja grande
3 colheres de sopa de cacau em pó

1 gema de ovo para pincelar


Preparação:
Num recipiente colocar a farinha abrindo um buraco no meio. Colocar no buraco o leite morno e o fermento. Envolver com um pouco de farinha.

Juntar os ovos, a margarina, a raspa de laranja, o açúcar e com a mão (ou batedeira com os ganchos de amassar pão) amassar até estar tudo envolvido. Por último juntar o sal e amassar mais um pouco.
Se necessário (caso a massa esteja húmida) junte mais farinha aos poucos.

Depois de amassada divida a massa em 2 porções iguais. Transferir uma parte para outro recipiente e juntar o cacau em pó amassando até estar envolvido na massa. Tapar os 2 recipientes com película transparente e deixar levedar.

Depois de levedada, transferir a massa clara para a bancada polvilhada com um pouco de farinha, e dividir em 2 partes iguais fazendo 2 rolos compridos como se vê na foto.

De seguida pegar na massa de cacau e repetir o mesmo processo (só com a diferença que se polvilha a bancada com cacau em pó).
Fica-se com 4 rolos, 2 claros e 2 de cacau.
Pega-se num rolo claro e num escuro e enrosca-se um no outro. Repete-se o processo com os outros 2.
E ficamos com 2 rolos de cor mista entrelaçados. Agora enrosca-se estes dois e por fim molda-se a regueifa.
Colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal untado com margarina.
Tapa-se e deixa-se levedar novamente.

Depois de ter aumentado de tamanho, pré-aquecer o forno a 180ºC.
Pincelar com gema de ovo batida e levar ao forno até cozer (fazer o teste do palito). Demorou cerca de 25 minutos, mas este tempo pode variar.
Quando estiver cozida retirar do forno e polvilhar com açúcar.
Está pronta a comer morna ou fria como mais lhe apetecer.
Bom apetite.

                                             



Se o dia acordar cinzento como hoje de manhã, vão para a cozinha e façam o sol brilhar com as cores desta bela tarte de maçã. 

A Luísa disse que era maravilhosa e eu comprovo. Obrigada pela partilha.
Receita do blog No Mundo de Luísa aqui.




Ingredientes:
3/4 maçãs vermelhas
1 embalagem massa folhada (usei quebrada)

50 gr. de farinha
1 colher de sopa de amido de milho
150 gr. açúcar (pus 100 gr.)
3 ovos
1 chávena de leite (250 ml)

Açúcar em pó para polvilhar
Canela em pó para polvilhar

Preparação:

Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Lavar e secar as maçãs.
Forrar uma tarteira de fundo amovível com a massa.
Cortar as maçãs com casca em fatias fininhas. Colocar as maçãs sobre a massa, sobrepondo-as e deixando a casca visível.
Para fazer o creme, colocar os restantes ingredientes num copo e passar com a varinha mágica.

Com cuidado (para as maçãs não se mexerem) colocar o creme por cima das maçãs e levar ao forno até o creme estar cozido.
Depois de cozida desenformar e deixar arrefecer.
Polvilhar com açúcar em pó e canela em pó a gosto.



Quase 2 meses sem colocar aqui nada. Meteram-se as férias (onde já vão!!!), meteu-se a preguiça, meteu-se sei lá o que mais... 😊

Tinha feito este semifrio quando houve mais cerejas e é uma sobremesa excelente. Fresquinha e cheia de vitaminas.
Tem mesmo de ser servida bem fresquinha. Improvisei um pouco ao fazê-la, mas gostei do resultado final.





Ingredientes:

500 gr. de cereja (peso com caroço)
3 colheres de sopa de água
6 folhas de gelatina
200 ml de natas
1 lata de leite condensado 397 gr.
Bolacha Maria Dorada para forrar fundo da forma
Cerejas para decorar

Preparação:

Usei uma forma de fundo amovível de 21 cm de diâmetro.

Lavar as cerejas e retirar os caroços.
Levar as cerejas ao lume com 3 colheres de sopa de água. Deixar ferver cerca de 5 minutos para amolecer.
Demolhar a gelatina em água fria.

Ralar as cerejas com a varinha mágica. Retirar para uma tigela, 6 colheres de sopa da polpa da cereja para colocar por cima do semifrio e reservar.

Deixar arrefecer a polpa um pouco e juntar a gelatina escorrida para dissolvê-la.
Bater as natas, juntar o leite condensado e bater só até misturar tudo.

Colocar a polpa de cereja e envolver tudo no preparado anterior.
Verter na forma e levar ao frio. Passada 1 hora espalhar as 6 colheres de polpa que se retirou por cima cobrindo a parte toda. 

Levar novamente ao frio, de preferência de um dia para o outro para ficar bem fresquinha.
Para desenformar passar uma faca à volta para ajudar a descolar e retirar o aro. Decorar com cerejas a gosto.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Top blogs de receitas

Parcerias com:

Chás, Compotas, Mel....

Comprar on-line